segunda-feira, 14 de abril de 2014

domingo, 13 de abril de 2014

Tolkien - O pai da fantasia (1/3)


   Bem, galera, aqui estou eu trazendo uma nova mini-série de posts aqui pro IéI. Nessa série, eu e a Mayara, nova autora do blog, vamos trazer um pouco sobre o famoso Tolkien, autor de O Senhor dos Anéis para os leigos.
   Numa apresentação rápida, essa série vai ser dividida em três partes: A história de vida dele, escrita por mim, os livros de sua autoria, que vai ser dividido entre eu e a Mayara, e uma análise geral do assunto, que fica por conta dela. Sem mais delongas, vamos ao post!

Quem foi?

   Tolkien foi, antes de tudo, um mestre da língua inglesa, estudando desde o ânglo-saxão e sendo especializado em antigo e médio inglês. Isso, dentre outras coisas, rendeu-lhe o título Honoris Causa em Oxford. Na literatura, é considerado por muitos (Inclusive por mim!) ser o homem que, talvez junto com C.S. Lewis (Autor d'As Crônicas de Nárnia), revolucionou a literatura fantástica moderna, pois é extremamente raro, se não impossível, encontrar um autor fantástico no século XX ou XXI que não tenha nenhuma inspiração em um dos dois.
   John Ronald Reuel Tolkien, ou J.R.R. Tolkien nasceu em 1892, na África do Sul, mas de nacionalidade e 'sangue' britânico. Voltou para a Inglaterra com seus 3 anos de idade. Desde pequeno era apaixonado por linguística. Em 1904 ocorreu um fato que marcaria a sua vida em todos os sentidos, fosse na pessoal, sua vida como autor e até religiosa: A morte da mãe. Desde então foi criado por um padre e tornou-se um católico fervoroso.
   "A infância de Tolkien teve duas realidades distintas: a vida rural em Sarehole, ao sul de Birmingham, lugar que inspirou o famoso Shire (Condado), e o período urbano, na escura Birmingham, onde iniciou os seus estudos."
Símbolo Típico, formado por suas iniciais

Na literatura...

   Sua vida e obra estão de certa forma entrelaçados, pois vários pontos de sua vida estão refletidos em seus textos. Lembro-me de ter lido em algum lugar que, com passar do tempo, seu comprometimento com os contos da terra-média deixaram de ser um hobbie e passaram a ter um sentido de realização pessoal, e até filosófico de sua parte. É interessante lembrar que a maior parte de seus escritos foram feitos sem a intenção nenhuma de serem publicados, tanto é que quando morrera, a maior parte dos contos não estavam terminados, como escrito n'O Silmarillion.
   Suas obras foram pioneiras na literatura moderna, e como todo pioneiro, virou ponto de referência para tantos outros, que até hoje (e garanto: ainda por muito tempo) se baseiam com garra nos seus trabalhos.

   Seu legado é vasto, não só na literatura. Virou referência em filmes, series, jogos, etc. Suas marcas já estão na carne da cultura moderna. Seria excessivo pensar que ele pode fazer parte dos futuros livros de história das escolas?
Aguardem a parte 2!

segunda-feira, 7 de abril de 2014

Rio - Um grande pequeno lugar


   Rio. A menina dos olhos de quem nunca esteve lá. Atrai, ainda que inacreditavelmente, muitos turistas de todos os cantos do mundo.
   Possui praias realmente muito belas, embora, se adentrar dois quarteirões em algumas cidades, essa beleza se perderá no meio das comunidades menos favorecidas.
   Se gosta de passar o tempo comendo enquanto se deleita com uma bela paisagem, é bom lugar. Apenas leve a carteira cheia, pois o preço das coisas é proporcional à popularidade do local.
   Se gosta de andar pelas ruas, traga um amigo fumante, porque o cheiro de tabaco corta pelo menos um pouco do mal cheiro que perfuma alguns dos bairros mais famosos.
   Mas, se o que você gosta é de dar uma volta rindo sadicamente da situação alheia, você escolheu o lugar certo! Pois você encontrará empresas de turismo que terão o prazer de receber seu dinheiro para fazer o chamado "Favela Tour", onde te levam numa expedição pelas favelas locais, mostrando TURISTICAMENTE a realidade precária de uma parcela da população carioca.
   A gastronomia local é boa, além de ressaltar uma característica nacional: A capacidade de tornar caras as coisas simples, como o infame "omelete de cinquenta reais".
   Se deseja visitar estas terras de extrapolante contraste, venha por sua conta e risco, além de uma ponta de sorte: Talvez, quando viajar, o uso dos banheiros esteja com desconto!

domingo, 6 de abril de 2014

A verdade por trás da capa Rage Against the Machine


Rage Against the Machine é o primeiro álbum da banda de rapcore norte-americana Rage Against the Machine, lançado em 3 de Novembro de 1992. O que muitos não sabem, é o grande significado de sua capa.

A capa representa Thích Quảng Đức, um monge Budista, que se sacrificou em Saigon, cidade do Vietnã, no dia 11 de junho de 1963, ateando fogo em seu próprio corpo.
Thích protestava contra a opressão que os Budistas sofriam por parte da administração do então Primeiro Ministro Ngô Đình Diệm
A fotografia original, de Malcolm Browne, que ganhou o Prêmio Pulitzer de Fotografia e o World Press Photo de 1962.

Ejiah Wood: De bom Hobbit para protagonista de terror

   No thriller “Toque de Mestre”, em cartaz nos cinemas brasileiros desde quinta-feira, dia 03/04, conta a história do pianista Tom Selznick que recebe, antes da apresentação que marca seu retorno, um bilhete assustador em suas partituras. A ameaça afirma que ele terá que fazer o melhor concerto de sua vida, sem um único erro, se quiser salvar a si mesmo e sua família.
   O filme tem como principal destaque a atuação de Elijah – que, após o término da trilogia “O Senhor dos Anéis”, se afastou do circuito dos blockbusters, como aconteceu com o ator Daniel Radcliffe (Harry Potter), que também ficou conhecido mundialmente pelo nome de seu personagem, que nunca o abandonou.
O ator agora se dedicar apenas ao que mais gosta: o terror. Wood fundou uma produtora dedicada apenas ao gênero, a SpectreVision, e está cheio de projetos. “Elijah quer explorar o mundo de fazer filmes, e é um artista extremamente responsável”, elogiou Eugenio Mira(diretor do filme).De fato, desde que assumiu a função de produtor, tenta contestar os parâmetros da indústria, que investe centenas de milhões em filmes de super-herói, mas fica receosa a confiar meros U$ 5 milhões a outros projetos.

   Segue a baixo o trailer do filme, dirigido pelo espanhol Eugenio Mira.


   Assistam! Eu, com certeza, vou dar um jeito de dar uma passadinha no cinema essa semana. Quem já teve a oportunidade de assistir, comente aqui o que achou do filme. Até..